时间  3小时 58分钟

路线点数 2953

上传日期 2021年1月17日

记录日期 一月 2021

-
-
250 m
86 m
0
2.6
5.2
10.48 km

浏览次数: 223次 , 下载次数: 7次

邻近 Broalhos, Porto (Portugal)

VÊ AS NOSSAS FOTOS PARA INSPIRAR A TUA PRÓXIMA AVENTURA
Never Stop Exploring
Caminhantes, trails to inspire your next adventure



PARQUE DAS SERRAS DO PORTO

O Parque das Serras do Porto, com perto de 6.000 hectares, é composto por seis serras: Santa Justa, Pias, Castiçal, Santa Iria, Flores e Banjas, abrangendo território dos municípios de Gondomar, Paredes e Valongo. Esta área, classificada desde 2017, como Paisagem Protegida Regional, integra o Sítio Rede Natura “Valongo” e o Parque Paleozóico de Valongo. Aqui, os visitantes podem desfrutar da imensa beleza cultural e paisagística de serras, vales e rios, salientando-se a singularidade geológica, que nos leva a uma interessante viagem pela Era Paleozoica.

Os vales dos rios Ferreira e Sousa convidam a um certo isolamento em estreito contacto com a natureza, enquanto o efeito miradouro das linhas de cumeada proporciona uma excelente perspetiva do território envolvente. Atualmente, o Parque das Serras do Porto tem três centros de receção ao visitante com informação útil sobre o Parque (Visitar Página oficial).



TRILHOS DAS SERRAS DO PORTO

O Parque está, desde setembro de 2020, a criar uma Rede de Percursos Pedestres que irá ligar os vários trilhos e sinalizar o seu património biológico, geológico, arqueológico, imaterial e construído. São quase 260 km de trilhos para calcorrear por terras de Gondomar, Paredes e Valongo. A rede será composta por uma grande rota, que deverá totalizar 57km ao longo dos três concelhos, e 19 percursos distintos, com pequenas rotas em cada território que deverá estar finalizada na Primavera de 2021. O projeto prevê a instalação de mobiliário, sinalética e uma página web para ajudar quem fizer os percursos, fornecendo informação sobre o território e os pontos de interesse. Enquanto aguardamos a conclusão do projeto começamos a percorrer os trilhos previstos, naquilo que podemos chamar de uma versão de reconhecimento, para inspirar a tua próxima aventura pelo Parque das Serras do Porto…


DESCRIÇÃO DO TRILHO REALIZADO
PR - TRILHO DO VOLFRÂMIO (SERRA DAS FLORES)


O trilho percorre a Serra das Flores ou Açores, que com uma altitude de 320 metros é a 3085º elevação de Portugal Continental. Está situada no concelho de Gondomar, a oeste da Serra de Santa Iria, a sul de Aguiar de Sousa e ao norte de Medas. Neste percurso é possível o contacto com a natureza e o desfrute da paisagem envolvente, bem como o contacto com as ruínas de um complexo mineiro do Sítio do Corgo. O percurso é realizado por caminho florestal, onde predominam os eucaliptos. O percurso, em janeiro 2021, ainda não está sinalizado pelo que se aconselha o uso de GPS.

Iniciamos o trilho em Covelo, na Rua da Louseira (EM615), não sabemos se será o local oficial de inicio e fim deste trilho, mas aqui encontramos um amplo estacionamento. No local não encontramos qualquer painel informativo ou sinalética do percurso. Na ausência informação e de marcações no terreno realizamos o trilho recorrendo ao mapa em pdf apresentado pela Câmara Municipal de Gondomar. Optamos por fazer o percurso no sentido dos ponteiros do relógio.

Seguimos para norte por um caminho florestal, sempre a subir em direção ao alto da Serra das Flores (320m) sem atingir o seu cume, aos 221 metros de altitude, rodamos 90º à direita para seguir pela cumeada da serra até ao Marco Geodésico das Medas (245m) e às Ruinas da Capela de Santa Bárbara (252m).



A Capela de Santa Bárbara (224m), padroeira dos mineiros, foi mandada erigir em 1884, no alto da Serra das Flores (ou Açores), a 252 metros de altitude, pela Companhia das Minas Riba-Douro. A capela era um espaço onde os muitos mineiros católicos tinham um local para rezar. Contudo a capela nunca seria terminada e hoje restam apenas as ruinas deste edifício.

O percurso recua 300 metros para descer, em direção a sudoeste, pela encosta o caminho florestal onde predominam os eucaliptos para rodar 90º à direita e voltar a seguir para norte. Ao km 5.8 abandonamos o caminho florestal para seguir um trilho mal definido de pé posto que interseta o Ribeiro do Corgo o qual acompanhamos por alguns metros em sucessivas travessias, para voltar a amplo caminho florestal e seguir em direção às Ruínas da Mina do Corgo.



A Mina do Corgo designada Sitio do Corgo arrolada no Catálogo Descritivo da Secção de Minas (1889) ou, simplesmente, mina do Corgo, retratada no Inquérito Industrial de 1890, situava-se na freguesia de Medas, na vertente ocidental da Serra das Flores (Serra dos Açores). A mina tinha uma área de 54 hectares e fora concedida, em 1884, à firma Shore e Cudell, formada por dois estrangeiros: o alemão Gustavo Cudell e o inglês Augusto Shore. Poucos anos depois, esta companhia trespassou a propriedade a uma companhia inglesa denominada The Lixa Mining Company Limited.

Esta companhia, para além de ter a exploração de antimónio em várias concessões, decidiu construir no local da mina do Corgo uma fundição para produzir o “régulo” de antimónio e ouro. Esta seria a tentativa para que a indústria de antimónio na região se pudesse desenvolver, em vez de exportar apenas o sulfureto de antimónio sem passar pelo processo metalúrgico. A exportação do sulfureto e do “régulo” do antimónio das minas da região mineira do Douro, seria uma forma de alargar o mercado deste minério a outros países sem as minas do Douro estarem dependentes da indústria transformadora inglesa através da qual era efetuada a maior parte da comercialização do antimónio. A iniciativa poderia ser uma boa solução para dinamizar a indústria da região; contudo o processo não seria do agrado das empresas de fundição que tratavam do minério em Londres. Isto leva a que vários poderosos e influentes empresários do mercado inglês tentassem dificultar os negócios de The Lixa Mining Company Limited, impedindo por diversos meios que as outras minas vendessem o minério à empresa da mina do Corgo.

A mina do Corgo, de que era concessionária a empresa The Lixa Mining Company Limited, por motivos de falta de capital acaba por ficar sem a posse da mina e esta é declarada abandonada a 21 de junho de 1908 (ADP, Processos..., C/10/8/2-6.26).



O percurso continua por amplo caminho florestal para sul para rodar 360º novamente para norte, quase a intersetar o caminho anteriormente realizado, aqui requer alguma cautela, para virar à esquerda, em direção a oeste e pouco depois temos como referência a A41 até à Rua da Louseira, ponto de inicio e fim deste trilho.


FICHA TÉCNICA
Realização: 16 de janeiro de 2021
Percurso: Covelo (Rua da Louseira) - Capela de Santa Bárbara - Mina do Corgo - Covelo
Distancia: 10,5 km
Duração: 3h58min
Tempo em movimento: 2h26min
Tempo parado: 1h32min
Movimento médio: 4,3km/h
Acumulado positivo: 406m
Acumulado negativo: 410m



TRILHOS JÁ REALIZADOS NO PARQUE DAS SERRAS DO PORTO

MUNICÍPIO DE GONDOMAR
TRILHO DA SERRA DO CASTIÇAL
TRILHO DO VOLFRÂMIO - SERRA DAS FLORES
TRILHO DA CARQUEJA - SERRA DAS BANJAS
TRILHO DE BELÓI - ALTO DA PENECA

MUNICÍPIO DE PAREDES
TRILHO HISTÓRICO - SERRA DE SANTA IRIA
TRILHO DO VALE DO TORNO - SERRA DO CASTIÇAL
TRILHO DA RIBEIRA DE SANTA COMBA
TRILHO DE ALVRE
TRILHO DOS MOINHOS
TRILHO DE PIAS E CASTIÇAL
TRILHO DO MEL E DO OURO ROMANO

MUNICÍPIO DE VALONGO
TRILHO DO CASTELO+CORREDOR ECOLÓGICO+ROMANOS





Se gosta das nossas trilhas adiciona a tua avaliação no final da página.
Obrigado pelo seu comentário e avaliação.

Si te gusta nuestras rutas haz tu propia valoración al final de la página.
Gracias por tu comentario y valoración.

If you like our trails, leave your own review at the end of the page.
Thank you for your comment and review.

A equipa Caminhantes
兴趣点

INICÍO/FIM (RUA DA LOUSEIRA - COVELO)

兴趣点

MARCO GEODÉSICO MEDAS

兴趣点

RUÍNAS CAPELA SANTA BÁRBARA

兴趣点

RIBEIRO DO CORGO

兴趣点

FORNO MINAS DO CORGO

兴趣点

RUÍNAS COMPLEXO MINEIRO DO CORGO

兴趣点

RESPIRADOURO MINAS DO CORGO

评论

    您可以这条路线